post Category: Pessoas de Berlim post Comments (1) postMarch 3, 2009

Atenção, o que vou contar abaixo não é piada. Realmente aconteceu nessa última sexta-feira comigo e uns amigos que estávamos indo à um clube.

Nesta última sexta me convenceram a um a um clube com uma galera do curso de alemão. Como não divido o apartamento com ninguém (é meu, todo meu! 🙂 ), combinei com o pessoal para se encontrar aqui em casa e daqui saírmos juntos, já que a minha casa era no meio do caminho.

Como um bom nerd, pesquisei o caminho todo no site da BVG, a empresa responsável pelo transporte público aqui de Berlim. Logicamente para “facilitar” as coisas, o clube ficava super contra-mão, aquele perto-longe. Tinha que pegar um trem até a próxima estação, então pegar um ônibus por mais 4 pontos. Até aí tranqüilo, sem problemas.

Todos prontos e preparados, partimos para o trem, que foi tranquilíssimo. Chegando na estação que começa o problema. Tinha ponto de ônibus dos dois lados e logicamente sem indicação qual delas seria a correta para nós. Precisávamos pegar o ônibus M27 na direção da estação de Pankow mas, logicamente o lado que escolhi, o ponto era exatamente para a outra direção, estação Jugenferheide, ou seja, a estação que eu estava. O que a lógica diz? Cruzar a estação para exatamente o outro lado e foi isso que fiz. Acontece que do outro lado, no ponto de ônibus, estava escrito a mesma coisa! Ponto para Jugenferheide! Olhando no mapa, vi que a rua que tínhamos que ir era mais perto de onde fomos primeiramente então lá fomos nós cruzando a estação. Por sorte, estava chegando o M27 quando chegamos no ponto. Qual é a surpresa quando vimos que estava escrito …. Jugenferheide! Meu Deus! Como pode? Bem, pedimos para uma das meninas do grupo, que fala um alemãozinho melhor, parar o ônibus e perguntar onde é o raio do ônibus. Vou ter que reproduzir o diálogo pois é algo surreal:

– Este é o ônibus que vai para Pankow?

– Não.

(o motorista não falou mais nada e já ia fechando a porta! )

– Onde seria então o ponto, por favor?

– Do outro lado da estação.

Vale dizer que o ônibus estava vazio e ele sequer olhou para a nossa cara. Éramos 3 pessoas, relativamente bem vestidos e estava escuro e meio deserto ali, mas tudo bem.

Fomos para o outro lado e qual é a surpresa quando naquele ponto onde também estava escrito Jugenferheide, chega o mesmo ônibus que nos deu a informação do outro lado? Bem, ficamos tranqüilos pois como ele mesmo disse, era ali que tínhamos que ficar. Achei estranho pois os pontos de ônibus todos tem escrito a direção em que o dito vai mas tudo bem, quem sou eu para discutir.

Agora começa o absurdo. O motorista parou o ônibus, desligou e apagou as luzes. Nós 3 ali do lado de fora, os mesmos 3 que ele não só viu do outro lado como chegou a nos dar a informação. Tudo bem que não estava congelante (4 graus) mas eram 10 da noite, tudo escuro e tinha uma menina, não custava deixar a gente entrar e sentar. Ele abriu a marmita, comeu tranquilamente um sanduíche, bebeu uma agüinha, ficou olhando para frente (não olhou para nós nenhuma vez).

Calma que ainda tem mais….

Depois de 10 minutos, ele dá a partida do ônibus e acende a luz. Quando reparo que o ônibus dá uma levantada (aqui os amortecedores abaixam para o ônibus ficar da altura do meio-fio e assim facilitar o acesso), me deu um estalo; “esse cara vai sair sem a gente”. Só deu tempo de verbalizar para os meus amigos e não deu outra; o cara partiu!!!  Eu, por sorte, reparei que tinha um ponto de ônibus à uns 300 metros à frente e logo que vi ele saindo, corri na direção e falei para todos também entrarem no pique senão iríamos perder. Para nossa sorte, tinha acabado de chegar o trem e tinha mais umas 6-10 pessoas para embarcar. Só sei que se eu soubesse um pouco mais de alemão, o cara iria escutar muito! Eu estava roxo de raiva e só consegui falar bem alto e grosseiramente um VIELEN DANK (Muito Obrigado).

O inacreditável é que: 1 – ele SABIA que nós iríamos para Pankow. 2 – Estava claro que éramos turistas. 3 – O que custava ele deixar a gente entrar no ônibus enquanto ele estava no ponto final?

—-

Isto que narrei acima não foi um caso isolado, pelo contrário, ser bem atendido que é um uma raridade. O bom que a maioria das vezes tenho provas para isso. Uma vez em um restaurante com a minha amiga espanhola Yhazmina e quando estávamos para nos sentar em uma mesa, uma garçonete grita, literalmente grita: “NÃO SENTA AÍ!!! Será que não está vendo que está reservado?!?!” Vale dizer que não era uma lanchonete e sim um restaurante relativamente de nível em uma das zonas mais badaladas da cidade.

Outro caso foi com o meu ex-aluno Péricles, ajudando-o a comprar um bilhete de trem para Munique. Péricles pergunta qual seria o primeiro trem para Munique e o atendnete vira e diz : “1.23 AM” então Péricles vira e diz: “Ahh, e para depois das 6:00AM? ” o cara responde: “Não foi isso que você perguntou anteriormente.” e pára. Pára! Não faz mais nada até que Péricles teve que se desculpar e pedir a informação de novo. Pode isso?

A minha singela opinião é que serviço direto assim é considerado uma função relativamente inferior, até pelos que a estão exercendo. Com isso ele já te atende com raiva, com certa mágoa. Qualquer coisa que você peça fora do padrão ou que exija algo a mais do atendente é quase um xingamento para eles. Sendo assim, venha para Berlim preparado psicologicamente para não ter a mesma atenção que estamos acostumados no Brasil na maioria das vezes.

[UPDATE] – Pelo visto não sou só eu que acho. Saiu um imenso artigo na Der Spiegel online e em inglês sobre o investimento da prefeitura da cidade para ensinar os funcionários públicos a sorrirem. Já viu né?

1 person has left a comment

#1

oi,

Com certeza vc nao é o único a ter esta opiniao. Moro em Berlim a mais de 6 anos e se fosse relatar as grosserias que já ouvi, o mal servico que já tive aqui daria um livro. Aqui a gente tem a impressao de que estas pessoas estao te “fazendo um favor” em atender e que a gente esta sempre perturnbando.

Inclusive nao sei se vc já ouviu falar, mas tem um termo “servicewüste Deutschland”. Tem um blog também: http://servicedeutschland.wordpress.com/

Isa (Pousada em Morro de São Paulo)

Isa wrote on October 12, 2009 - 11:46 am
You can leave a response, or trackback from your own site.

Write Your Comment

Comment Guidelines: Basic XHTML is allowed (a href, strong, em, code). All line breaks and paragraphs will be generated automatically.

You should have a name, right? 
Your email address, I promised I won't tell it to anyone. 
If you have a web site or blog, you can type the URL right here. 
This is where you type your comments. 
Remember my information for the next time I visit.